9 de junho de 2008

Mais uma matéria para que você conheça um pouco mais sobre o mundo pornô:

A vida dupla de Domina Hera

A AEBN entrevista a dominatrix alemã

Sucesso na Europa entre os amantes de práticas sadomasoquistas, Domina
Hera divide o tempo entre os tribunais e as botas de couro envernizadas.
Em seu livro Advogada de Dia, Dominatrix à Noite (Lawyer by Day, Domina at
Night; Schwarzkopf & Schwarzkopf; 2006), ela conta como faz para manter
estes dois estilos de vida tão diferentes. Vestida em um tradicional
tailleur ou armada com seu chicote fiel, Hera

sempre chama atenção de sua audiência: seja com sua lábia de advogada ou
com suas sessões sadomasô, também reveladas pelas câmeras do estúdio
Fallen Angels Productions

. Em entrevista à AEBN, Domina Hera conta sobre sua polêmica vida dupla.

AEBN: O que veio primeiro: a carreira como advogada ou sua atividade como
dominatrix profissional?

Hera: Acho que as duas coisas aconteceram ao mesmo tempo. Eu precisava de
dinheiro para pagar a faculdade... Então, começei a fazer sessões
sadomasoquistas para pagar os estudos, já que sempre curti isso.

AEBN: Como você explicaria a atração sadomasoquista para o público comum?

Hera: Não acho que o público comum possa realmente compreender o interesse
sadomasô. E não acho que ninguém precise tentar fazer isso; apenas tolerar
a diferença é o que pedimos. O importante é que não haja preconceitos.

AEBN: Por que você acha que as pessoas querem sofrer dor e humilhação?

Hera: Acredito que o interesse sadomasoquismo está relacionado ás
experiências vividas na infância. A repetição controlada de dor e
humilhação combinada com prazer é o ideal. Eu sempre admirei mulheres
fortes, poderosas. Uma grande dominatrix, que é minha amiga até hoje, me
ensinou tudo sobre o mundo sadomasô. O que me atraiu para esta prática foi
seu atraente espírito rebelde

AEBN: Você também atende mulheres em suas sessões?

Hera: Sim. No entanto, a maioria de meus clientes são homens casados. Este
negócio não é muito diferente do que um restaurante, por exemplo, pois
cada dominatrix atrai uma clientela específica.

AEBN: Por que você acha que a maioria de seus clientes são homens casados?

Hera: Não faço a mínima idéia. Acho que eles buscam extravasar as pressões
da vida a dois. Nem todas as pessoas têm a capacidade de serem imparciais
com relação à sexualidade, ou seja, de vivenciaram sexo sem envolvimento
emocional. Acho que os homens que me procuram estão em busca disso e não
contam para suas parceiras por temerem o preconceito.

AEBN: Você atende colegas do escritório à noite, como Domina Hera?

Hera: Sim. Para mim, não há constrangimento nenhum em fazer isso.

AEBN: Como o papel de dominatrix influencia seus relacionamentos amorosos?

Hera: De tempos em tempos, tenho relacionamentos diferentes e nem sempre
interpreto o papel de dominatrix. Mas, seria submissia somente em uma
relação em que exista afeto.

AEBN: Qual foi a situação mais diferente que já viveu como Domina Hera?

Hera: Uma cliente marcou uma sessão comigo e, na hora, só queria saber de
desabafar os dramas pessoais. Eu imediatamente o mandei embora e pedi para
que nunca mais me telefonasse. Não faço terapia e não tenho tempo a
perder.



AEBN: No mundo sadomasô, vestuário e acessórios são um importante fetiche.
Quais são suas preferências?

Hera: Além de meu chicote infalível, gosto de tudo que é feito de couro!
Já na vida particular, tenho uma paixão incurável: os sapatos da grife
Louboutin .

AEBN: O que você aprendeu ao ser uma dominatrix?

Hera: Sou uma pessoa altruísta, mas, aprendi a ser livre através do
sadomasoquismo.



AEBN: Algum conselho para quem quer se tornar uma dominatrix?

Hera: Jamais percam o respeito por seus clientes e lembrem-se: a prática
leva à perfeição!

AEBN: O que você gostaria de estar fazendo em cinco anos?

Hera: Enquanto eu souber que estou satisfazendo meus clientes, pretendo
continuar fazendo isso. Costumo me despedir de minha amiga, dizendo "ich
bin ja so gespannt", que significa que eu estou aberta a aventuras.



Clique aqui

para assistir os filmes de Domina Hera

Visite o perfil da estrela alemã
no SocialKink.com.

Fonte: American Entertainment Broadcast Network