29 de junho de 2008

Olhando no Youtube, achei mais essa matéria do repórter César Polvilho do Pânico na TV, agora na Erotika Fair... Aprontei todas com ele, rs... Olha só:

Essa é uma matéria do repórter César Polvilho do Pânico na TV, no evento Miss Brasil Transex 2008... Muito legal... Ele me deu um selinho durante a entrevista e não soltou mais... rs. Dá uma olhadinha:

Cheguei ontem de viagem, as 10 da manhã, na verdade, fiquei na boate acordada esperando dar a hora do primeiro ônibus em Araraquara, pois, prefiro dormir na viagem, passa mais rápido. Acordei já estava em São Paulo, próximo ao Terminal Tiête, peguei um metrô, um táxi e cheguei finalmente no meu Apartamento em Pinheiros.
Meu marido ainda estava dormindo e minha sogrinha já estava à minha espera, pois ela ficou fazendo companhia pra ele, nesses dois dias de minha ausência.
Tomei um bom banho, pra me restabelecer da longa e cansativa viagem, arrumei minhas roupas, fui levá-la até sua casa e logo em seguida pegamos estrada até Itu, pra passar o fim de semana em minha outra casa e visitar minha família.
Meu show foi muito legal, saiu conforme minhas expectativas, os convidados e as mulheres que trabalham na casa, vieram me elogiar. Shows de striptease, é comum, mas com performances de pole dance já não é tão comum e as pessoas ficam maravilhadas com tantos malabarismos, misturados com sensualidade.
E por falar nisso, essa semana fiz umas fotos para uma matéria relacionada ao Pole Dance de um site de moda e olha que legal que ficou:

http://www.comunidademoda.com/2008/06/inspirao-sensualidade-pole-dance.html

27 de junho de 2008

Daqui a pouco estarei fazendo um show na Chácara do Dim,este é o link do site: http://www.chacaradodim.com.br/
Conheçam um pouco mais a atriz Sara Lopez que participou do meu filme Lições Sexuais de Morgana Dark, olha como ela é linda:


Veja mais:
http://sarah-lopez.nafoto.net
Pornotube comemora aniversário com novo visual

O Pornotube.com, o mais conhecido site de compartilhamento de vídeos adultos, completa dois anos de existência em grande estilo e celebra seu sucesso com um novo design do site. Lançado no começo de junho, o visual moderno e aprimorado promete proporcionar uma experiência ainda melhor aos milhares de visitantes diários do Pornotube.com.
Além do aperfeiçoamento estético, como o aumento do tamanho das fotos ‘thumbnails’, uma série de mudanças quanto à funcionalidade do site, como o reposicionamento da barra principal, tornou as páginas do Pornotube.com ainda mais fáceis de serem navegadas. O desenvolvimento do site fez triplicar o número de cadastros, superando todas as expectativas da equipe do Pornotube.
“De início, achei que havia ocorrido um erro quando vi o novo número de usuários”, diz a administradora do Pornotube, Suzann Knudsen, às gargalhadas. “O número realmente havia triplicado em apenas um dia. Foi o máximo”, celebra Suzann.
Pouco depois de seu lançamento, no verão de 2006, o Pornotube.com logo ganhou a atenção internacional por sua inovação no mercado adulto, tornando-se um dos sites que mais rapidamente cresceu na web. Além de ter sido citado no VH1's Best Week Ever Blog, o Pornotube teve seu perfil mencionado pelo renomado site de tecnologia TechCrunch.
Hoje, o Pornotube é o maior site vídeos adultos compartilhados e conta com parcerias de sucesso com grandes estúdios, como Teravision, Hustler, Titan Media e Smash Pictures, além da recente adesão da aclamada Private Media.
“O sistema de compartilhamento criado pelo Pornotube fez com que todos da indústria adulta – estrelas, estúdios e afiliados – fossem beneficiados e ganhassem visibilidade. O Pornotube trouxe um novo jeito de se expor conteúdo adulto na web e é, definitivamente, parte da vanguarda responsável pela revolução digital”, diz Suzann Knudsen.
Estou em Araraquara, cheguei ontem pra fazer show na Chácara do Dim, uma boate bem conhecida na região. Todos são muito receptivos e elogiaram muito meu show, hoje tem mais, estou hospedada num hotel nesse momento, trabalhando no pc um pouco e depois vou ler, trouxe um livro pra passar o tempo e à noite, aproximadamente uma da manhã, vou fazer o show. Se você for da região, é meu convidado, será um prazer recebê-lo.

20 de junho de 2008

Hoje fui fazer umas fotos pra Playboy, a matéria ficou ótima e vai sair na edição de Julho da Revista, estou muito feliz por estar cada vez mais sendo reconhecida e respeitada pelo meu trabalho...

16 de junho de 2008

Segue abaixo mais uma entrevista cedida para o meu blog pela AEBN:

A boneca fala

Uma entrevista exclusiva com a estrela Dolly Buster



Dolly Buster é, definitivamente, um ícone legendário não apenas na indústria pornô internacional: é, também, uma celebridade sempre presente na mídia convencional européia. A ex-estrela pornô theca foi apelidada “Dolly” (“boneca”, em inglês) pelo marido Dino Baumberger, devido à semelhança física com a cantora americana de música country Dolly Parton. Apesar de ter nascido em Praga, esta “louraça beuzebu” tem a Alemanha no coração e escolheu as terras germânicas para viver e exercer a profissão de diretora pornô.



Extremamente versátil, Dolly é proprietária de uma rede sex shops e se interessa por política e arte. A eterna estrela tcheca já atuou como produtora, apresentadora de televisão e até escritora. Após ter atuado em centenas de filmes e publicado dois livros, Dolly agora se dedica à carreira de diretora pornô através de seu estúdio DBM. Experiência no negócio pornô é o que não falta para Dolly, que mostra talento também por detrás das câmeras, comandando tanto filmes héteros, quanto gays. A representante do mercado europeu da AEBN, Eva, traz para você uma exclusiva entrevista com Dolly Buster: a mulher de poucas palavras, mas, que quando fala, todo mundo ouve!



AEBN: Como você se definiria?

Dolly: Um pacote misterioso e cheio de surpresas.



AEBN: Como era sua vida antes de se mudar para a Alemanha?

Dolly: Vivi em Praga até os 14 anos e saí assim que o país se tornou comunista.



AEBN: Você candidatou-se ao congresso europeu. Planeja retornar à vida política?

Dolly: Não pretendo voltar à política, mas, se pudesse, definitivamente mudaria a legislação de impostos.



AEBN: Você atuou em filmes pornôs com pessoas de todas as partes do mundo. Notou alguma prática sexual diferente?

Dolly: Não. Sexo é uma linguagem universal.



AEBN: Você é uma mulher heterossexual que produz filmes gays. Qual é o seu conhecimento quanto à pornografia gay?

Dolly: Tenho muitos amigos gays e isso ajuda bastante. Um deles é, também, diretor e me dá várias dicas.



AEBN: O que uma mulher tem de fazer para sobreviver na indústria do sexo?

Dolly: Ela tem de ser verdadeira com ela mesma.



AEBN: Você acha que a carreira pornográfica traz confiança à mulher na hora da cama longe das câmeras? Você acha que uma mulher tímida conseguiria fazer cenas de sexo?

Dolly: Não, acho que é exatamente o contrário: a mulher é quem tem de trazer sua confiança sexual para as cenas.



AEBN: Algum conselho para quem quer entrar na profissão?

Dolly: Aconselho para que sempre veja a carreira pornográfica como uma atividade paralela e jamais “invista todas suas fichas” neste negócio.



AEBN: Se você pudesse nascer novamente, gostaria de ser alguém diferente? Quem? Por quê?

Dolly: Não, acho que eu escolheria minha própria vida mesmo, pois sou muito satisfeita com a pessoa que me tornei. No entanto, acho que detestaria se tivesse nascido homem!



AEBN: Se pudesse fazer qualquer coisa que quisesse, o que seria?

Dolly: Dedicaria meu tempo salvando a vida de animais doentes.



AEBN: Qual é o seu lema de vida?

Dolly: Acredito em duas coisas: a vida é uma piada e as pessoas precisam apenas correr atrás de seus interesses.



AEBN: Qual foi a sua realização mais importante?

Dolly: Ainda está para vir: o futuro.



AEBN: Gostaria de dizer algo que seus fãs não sabem sobre você?

Dolly: Acho que algo que poucas pessoas sabem é que faço parte da nobreza tcheca.



AEBN: Você é uma pessoa que ama animais. Como tem superado a morte de seu cachorro Benny?

Dolly: Eu penso nele todos os dias e, às vezes, me emociono ao imaginá-lo presente.



AEBN: Como você é recebida em sua terra natal?

Dolly: Sempre sou recebida com respeito e muitos pedidos de autógrafo.



AEBN: Você se tornou uma celebridade sempre presente na mídia convencional européia. Você acha que isso se deve à sua carreira como atriz pornô e atividades relacionadas à indústria do sexo?

Dolly: Sem a carreira pornográfica, as pessoas jamais saberiam quem eu sou. Este foi o começo de tudo que construí até hoje.



Fonte: American Entertainment Broadcast Network (AEBN)
Respondendo a pergunta de um leitor, eu já gravei pelo Buttman internacional, com Nacho Vidal e Rocco Silfredi (ícones do pornô mundial). O filme que gravei com Nacho, está no Brasil, neste filme contracenei com ele e a atriz americana Ariana Jolie. Com o Rocco, eu ainda não vi no Brasil, mas conto no meu livro "Feitiço de Eros" os detalhes de contracenar com esse ícone do pornô mundial.
Muitos também me perguntam onde encontrar o meu livro, bem hoje ele se encontra disponível nas principais livrarias do Brasil e pela net é facilmente encontrado, basta procurar por "Feitiço de Eros".
Hoje saí na página da Uol sexo, a matéria ficou ótima, segue abaixo o link:
http://sexxxyvideo.uol.com.br/principal.php?pg=materias.php&cat=12&id=20

9 de junho de 2008

Mais uma matéria para que você conheça um pouco mais sobre o mundo pornô:

A vida dupla de Domina Hera

A AEBN entrevista a dominatrix alemã

Sucesso na Europa entre os amantes de práticas sadomasoquistas, Domina
Hera divide o tempo entre os tribunais e as botas de couro envernizadas.
Em seu livro Advogada de Dia, Dominatrix à Noite (Lawyer by Day, Domina at
Night; Schwarzkopf & Schwarzkopf; 2006), ela conta como faz para manter
estes dois estilos de vida tão diferentes. Vestida em um tradicional
tailleur ou armada com seu chicote fiel, Hera

sempre chama atenção de sua audiência: seja com sua lábia de advogada ou
com suas sessões sadomasô, também reveladas pelas câmeras do estúdio
Fallen Angels Productions

. Em entrevista à AEBN, Domina Hera conta sobre sua polêmica vida dupla.

AEBN: O que veio primeiro: a carreira como advogada ou sua atividade como
dominatrix profissional?

Hera: Acho que as duas coisas aconteceram ao mesmo tempo. Eu precisava de
dinheiro para pagar a faculdade... Então, começei a fazer sessões
sadomasoquistas para pagar os estudos, já que sempre curti isso.

AEBN: Como você explicaria a atração sadomasoquista para o público comum?

Hera: Não acho que o público comum possa realmente compreender o interesse
sadomasô. E não acho que ninguém precise tentar fazer isso; apenas tolerar
a diferença é o que pedimos. O importante é que não haja preconceitos.

AEBN: Por que você acha que as pessoas querem sofrer dor e humilhação?

Hera: Acredito que o interesse sadomasoquismo está relacionado ás
experiências vividas na infância. A repetição controlada de dor e
humilhação combinada com prazer é o ideal. Eu sempre admirei mulheres
fortes, poderosas. Uma grande dominatrix, que é minha amiga até hoje, me
ensinou tudo sobre o mundo sadomasô. O que me atraiu para esta prática foi
seu atraente espírito rebelde

AEBN: Você também atende mulheres em suas sessões?

Hera: Sim. No entanto, a maioria de meus clientes são homens casados. Este
negócio não é muito diferente do que um restaurante, por exemplo, pois
cada dominatrix atrai uma clientela específica.

AEBN: Por que você acha que a maioria de seus clientes são homens casados?

Hera: Não faço a mínima idéia. Acho que eles buscam extravasar as pressões
da vida a dois. Nem todas as pessoas têm a capacidade de serem imparciais
com relação à sexualidade, ou seja, de vivenciaram sexo sem envolvimento
emocional. Acho que os homens que me procuram estão em busca disso e não
contam para suas parceiras por temerem o preconceito.

AEBN: Você atende colegas do escritório à noite, como Domina Hera?

Hera: Sim. Para mim, não há constrangimento nenhum em fazer isso.

AEBN: Como o papel de dominatrix influencia seus relacionamentos amorosos?

Hera: De tempos em tempos, tenho relacionamentos diferentes e nem sempre
interpreto o papel de dominatrix. Mas, seria submissia somente em uma
relação em que exista afeto.

AEBN: Qual foi a situação mais diferente que já viveu como Domina Hera?

Hera: Uma cliente marcou uma sessão comigo e, na hora, só queria saber de
desabafar os dramas pessoais. Eu imediatamente o mandei embora e pedi para
que nunca mais me telefonasse. Não faço terapia e não tenho tempo a
perder.



AEBN: No mundo sadomasô, vestuário e acessórios são um importante fetiche.
Quais são suas preferências?

Hera: Além de meu chicote infalível, gosto de tudo que é feito de couro!
Já na vida particular, tenho uma paixão incurável: os sapatos da grife
Louboutin .

AEBN: O que você aprendeu ao ser uma dominatrix?

Hera: Sou uma pessoa altruísta, mas, aprendi a ser livre através do
sadomasoquismo.



AEBN: Algum conselho para quem quer se tornar uma dominatrix?

Hera: Jamais percam o respeito por seus clientes e lembrem-se: a prática
leva à perfeição!

AEBN: O que você gostaria de estar fazendo em cinco anos?

Hera: Enquanto eu souber que estou satisfazendo meus clientes, pretendo
continuar fazendo isso. Costumo me despedir de minha amiga, dizendo "ich
bin ja so gespannt", que significa que eu estou aberta a aventuras.



Clique aqui

para assistir os filmes de Domina Hera

Visite o perfil da estrela alemã
no SocialKink.com.

Fonte: American Entertainment Broadcast Network
Mais uma entrevista com Morgana Dark, segue abaixo o link:
http://sexxxyvideo.uol.com.br/principal.php


Miss Transex 2008 - Programa CQC Band


Concurso Miss Transex 2008 - Programa Pânico na TV
Ontem passou minha entrevista no Programa Pânico na TV, eles estiveram cobrindo o evento que aconteceu na segunda passada, no Auditório Elis Regina, no Anhembi, Concurso Miss Brasil Transex, pelo qual fui prestigiar, aí o pessoal do Pânico veio me entrevistar, quem assistiu pode ver o beijo na boca que dei no repórter César Polvilho, bem, ele que me pediu, disse que todas as suas entrevistadas teriam que dar um selinho nele no final, mas ele não quis me soltar... então, agarrei mesmo... rs. Acho que o programa vai reprisar na sexta.

1 de junho de 2008

Hoje saí na parte de esportes do Jornal Diário de São Paulo, ainda não tive a oportunidade de ver a matéria, mas o repórter me ligou ontem e disse que ficou muito legal... A matéria fala da minha passagem pelas quadras de basquete como árbitra da Federação Paulista de Basquete e o sucesso do meu livro Feitiço de Eros.
Procurei na net, mas não encontrei o link da matéria, encontrei esse outro aqui:
http://databasket.com/ler_materia.asp?codigo_materia=11695